Jogos legais. Já a marijuana…

 

Grilo e Resta Um eram amigos e campeões. Cada um na sua categoria. Grilo, um magrela com dificuldade em sustentar os suspensórios para segurar as calças, mais parecia uma tripa seca. Sua habilidade era na modalidade individual de cuspe a distância. A baba saia fina tal qual sua estatura.

Já o Resta Um, uma analogia ao jogo de tabuleiro, era imbatível no arremesso de bosta a distância. A sua pista de competição era qualquer campo com gado por perto para garantir munição e em dias de vento para que a torta de coco de vaca pegasse embalo e chegasse ao ponto mais distante.

Grilo aprimorava sua técnica nos porões da casa antiga junto aos barris de cachaça e nos dias de vento das pradarias. Sim, um dos segredos no campeonato de cuspe é um bochecho de pinga bem caprichado. Aí a baba fica pegajosa e é possível arremessar para longe, tal qual o camaleão alcança um inseto no outro galho.

Já a modalidade do arremesso cresceu tanto que dona Eulália, mãe do Resta Um perdeu o tabuleiro onde secava tomates, frutas e chás, para ter suprimentos o ano inteiro, porque o filho requisitou o equipamento para dar inicio a primeira indústria de secagem de bosta da história. Chegava a exportar generosos discos compactos para cidades vizinhas e até para o Uruguai, devido a proximidade da fronteira nos campos de Aceguá.

Não teve dificuldade em ampliar os negócios quando convenceu um vereador a apresentar um projeto tornando as duas modalidades, competições oficiais no calendário esportivo do município. Não tardou e a moda se espalhou para as demais cidades e províncias.

Certo dia um gaiato qualquer, esses gaúchos folgados que só arrumam confusão, levantou uma polêmica que teve repercussão instantânea. Denunciou os uruguaios, alegando que os hermanos jogavam sob o efeito de drogas, afirmando que a marijuana poderia não prejudicar a qualidade da baba, mas sustentando que a “ervinha do capeta” aumentava o desempenho dos arremessadores de esterco.

Foi a última competição internacional. O assunto virou discussão no parlamento e se tornou uma ameaça a soberania nacional, dos dois lados. A fronteira, no momento, está fechada para esta modalidade até que o Pepe e a Dilma cheguem a um acordo sobre o uso oficial da maconha em competições esportivas de toscas categorias.

 

Autor: flaviodamiani

Jornalista, cronista, mora em Porto Alegre

1 comentário em “Jogos legais. Já a marijuana…”

  1. A polêmica do Brasil com o Uruguai em relação a marijuana (pioneiros no assunto) me faz lembrar da mesma celeuma em relação ao casamento gay pela Argentina…e me faz rir…
    Buscando “marijuana” no wikipedia, encontrei a pérola abaixo que seria citada na música La Cucaracha Mexicana de (provável) ano 1818, e que aqui cantávamos como las patitas de atrás” mais risos …:

    “Durante a revolução mexicana a palavra “cucaracha” também era uma gíria para se referir à marijuana (Marihuana) ou cigarro de marijuana (daí deriva o termo roach na gíria estadunidense)

    La cucaracha, la cucaracha
    Ya no puede caminar
    Porque no tiene, porque le falta
    Marihuana pa’ fumar

    Num contexto em que citação da palavra “marijuana” seja inapropriada é comum que ela seja substituída por “limonada que tomar” ou “las patitas de atrás”. Isso preserva a história e a metrificação.

    Cuando uno quiere a una
    Y esta una no lo quiere,
    Es lo mismo como si un calvo
    En calle encuentre un peine. “

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *