O banco joga e a banca não banca

Se Nico Lopes (suspenso) e Camilo entrassem no time do Inter desde o inicio da partida, como a de hoje a tarde contra o Santa Cruz no Estádio Beira-Rio, os colorados podem ficar tranquilos.
Eles não formam um time misto, a não ser na cabeça do técnico; eles são titulares. O time que o Guto vem escalando é que é mesclado.

Tem banco no gramado e craque no banco.

Esta história de poupar jogadores titulares, mostra que o futebol fica em segundo plano. No momento em que o time embala para uma classificação, faltando apenas três jogos para garantis vaga na série A do ano que vem, ressurge o papo de poupar titulares. Apelam para exame de sangue para descobrir quais os jogadores que estão mais desgastados e coisa e tal.

Antigamente se dava o sangue para entrar em campo, hoje o sangue é quem escala o time.

Sendo assim, fazem poupança e investem no banco. Reservas são divisas necessárias sim e estas aplicações tem dado mais resultado do que é investido em campo.

(parêntese) Não esqueçamos do Mazembe em 2010, quando o Celso Roth poupou o time todo por semanas e foi responsável por um dos maiores vexames do futebol. (fim do parêntese e ponto final)

Por Flávio Damiani

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *