O CHATO

 

No terminal de passagens o chato se debruça no balcão e dá inicio ao seu predestinado ofício.

– Tem passagem para hoje até Porto Alegre?

A atendente responde:

– Hoje não tem mais, agora só no ônibus da próxima terça-feira.

– Como assim?

– As passagens deste domingo esgotaram o próximo ônibus que sai daqui para Porto Alegre é na terça.

– E eu vou ter que esperar até terça pra ir embora?

– Se for de ônibus, sim.

– Mas eu tenho que estar lá na segunda-feira.

– Infelizmente não posso fazer nada.

– Não tem como dar um jeito?

– Como?

– Me arruma um lugar.

– Em pé?

– Não, quero ir sentado.

– Nem em pé nem sentado senhor

– Mas é brincadeira…

– Quem sabe o senhor compra a passagem aqui e pega o ônibus em Floripa.

– E pode fazer isso?

– Sim.

– Como funciona?

– O senhor adquire a passagem aqui e embarca em Florianópolis.

– Mas é seguro?

– É sim, todos fazem assim.

– Todos?

– Os que optam embarcar em Floripa.

– Mas porque não me falou antes então?

– Porque o senhor não perguntou.

– Mas poderias ter me dado esta opção.

– Posso retirar a passagem?

– Peraí, ela é mais cara?

– Não tem diferença, o preço é o mesmo.

– Mas Florianópolis fica mais longe de Porto Alegre do que a Pinheira e o preço é o mesmo?

– Sim, não tem diferença.

– Então se eu comprar uma passagem daqui eu tenho prejuízo, isso é uma exploração.

– Não, senhor, com a passagem comprada na Pinheira, tanto faz o senhor pode embarcar aqui ou em Florianópolis, porque o ônibus sai de lá.

– Sim, mas daqui pra Porto Alegre é mais perto.

– O senhor vai escolher o horário para eu imprimir a passagem?

Neste momento a fila de espera aumentava e o cidadão, vestindo uma camiseta tricolor, não saia da frente.

– Só mais uma pergunta; se eu decidir embarcar lá em Florianópolis como vou saber se tem passagem para o horário?

– É só o senhor acessar o site da empresa e pode comprar por lá pelo cartão de crédito.

– Mas eu não utilizo cartão de crédito.

– Então é só vir aqui, depois da uma da tarde, que eu retiro o bilhete.

– E fora deste horário tem algum telefone pra contato?

– Este aqui senhor, falar com o Vinicius.

– Se eu ligar agora ele atende?

– Se não estiver fora de área, atende sim.

– Hummmm!!!

– E se não atender?

– Aí o senhor vem aqui.

Aí já se formou um murmurinho com um ensaio de via geral e uma senhora impaciente com um bebê de colo que ameaçou trocar as fraldas da criança ali mesmo, no balcão. Ele fez menção de ir embora e ameaçou voltar para buscar mais alguma informação mas a senhora interrompeu o movimento com um:

– Tinventa olhólhó!!!!

O camarada beijou o distintivo da camiseta e gritou:

– Viva o Tricolor dos pampas

Prestes a ser defenestrado via janela do guichê, vazou pela porta da frente.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *