… se não gostou o Osmar enterra

 

Osmar Terra, ministro da cidadania, não concordou com a pesquisa da Fiocruz sobre consumo de drogas no Brasil e engavetou o estudo. A Fiocruz uma das mais importantes e sérias instituições de pesquisa no mundo, revelou que não há uma epidemia de drogas no Brasil, mas o ministro contraria a pesquisa e fala em viés ideológico pra dizer que a tal epidemia existe.

Claro que há uma seria desconfiança, quase velada, de que o governo que está aí tem um compromisso com a milícias e não com as drogas, portanto, criminalizar é a regra, disse outro dia um analista. Se bem que milícia e drogas se sustentam, o contrabando é que é diferente.

As pesquisas são importantes para a elaboração de politicas públicas e o seu Osmar está colocando no lixo um documento importante para a se trabalhar o problema e o que é pior, ao engavetar, evita a divulgação dos resultados, um direito constitucional do cidadão brasileiro.

Foram 16 mil entrevistados que deram seus depoimentos para 500 entrevistadores duranate três anos de trabalho. A pesquisa custou a bagatela de sete milhões aos cofres públicos e foi parar no limbo por puro capricho de um ministro que não aceitou o resultado por não bater com as suas ideias como se elas fossem o supra sumo da sociedade, aliás, condenou ao melhor estilo do seu comandante, o capitão Jair Messias. Se bem que pode ter feito isso também para agradar o chefe, vai se saber.

Enfim, a  laranja não cai longe do pé, aliás, de laranja eles entendem. Não importa o custo do trabalho, se não gostou o Osmar enterra.

Autor: flaviodamiani

Jornalista, cronista, mora em Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *