O dia em que a diarista não veio

Ontem, antes de dormir, fiquei sabendo que a diarista não apareceria nesta sexta-feira. Dei de mão no aspirador que levantou vôo pelas paredes, cantos do teto, nas frestas do assoalhos, pás dos ventiladores de teto. Aproveitando a onda aspirei até os cachorros da casa e me declarei “inimigo do pó”, erguendo a haste do aspirador feito herói, um gesto ridículo, mas fiz.

Ao acordar pela manhã vi que a sujeira da casa ainda estava lá e a faxina por fazer.

Sonhar com trabalho me deixa puto.

Autor: flaviodamiani

Jornalista, cronista, mora em Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *