O malvadinho e a formação do caráter

Duas crianças brincam de gente grande e uma grande ideia começa ganhar formato diante da realidade que presenciam.

O malvadinho diz:

– Esta eleição tá no papo.

O menos radical responde:

– Que tanta certeza?

E o diálogo segue um breve roteiro.
– Vou apelar na justiça, mando prender meu adversário.
– Alegando?
– Que ele roubou meus quindins.
– Mas o cara é diabético, não vão acreditar na tua história.
– O eleitor odeia pobre e ladrão, de quindins, no caso.
– Vai ser preciso um bom lobby.
– Sim, o de que ele comeu quindins com sagu. Ninguém vai perdoar.
– Que culpa tem o sagu?
– O eleitor odeia sagu. Sagu lembra pobreza.

Autor: flaviodamiani

Jornalista, cronista, mora em Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *