Cachinhos de ouro

Desci a Rua Dr. Flores como quem salta do trem em movimento, travando as pernas para não tropeçar nas pessoas, ainda mais com aquele chão de garoa. Ali perto uma mulher repetindo a mesma ladainha:
– Compro ouro e cabelo… compro ouro e cabelo…

Refeito eu daquele equilibrismo sem corda, passando ass mãos para ajeitar fiapos do cabelo, vi que a mulher me observava num olhar sereno, quase me pedindo em namoro. Mas o movimento dos seus lábios foi para dizer apenas:
– Compro ouro.

 

Autor: flaviodamiani

Jornalista, cronista, mora em Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *